quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

A "coisa" que salvou Cavaco Silva


O actual Presidente da República, professor doutor, Aníbal Cavaco Silva, julgando que seriam “favas contadas”, facilitou na recolha de assinaturas para a sua recandidatura.
Ele que se diz independente e presidente de todos os Portugueses, viu-se obrigado a recorrer ao partido que maciçamente o apoia, o PPD/PSD.
Foi o Dr. Marco António Costa quem (num ápice) angariou as assinaturas em falta e muitas mais.
Vai longe o “botões de punho”, prevejo um futuro (ainda mais) risonho ao Marquito,
e aos empreiteiros amigos dele.

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

Diz-me com quem andas


"O povo só aspira ser bem conduzido e governado"

"O povo só aspira ser bem conduzido e governado", não, não foi Cavaco Silva quem o disse, a frase é de António Oliveira Salazar.

BOAS FESTAS

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

MORREU PÔNCIO MONTEIRO

MONTEIRO, nunca Pilatos!!!

Morreu um insubstituível adepto do Futebol Clube do Porto
Obrigado Pôncio Monteito
Viva o Futebol Clube do Porto

domingo, 19 de dezembro de 2010

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

VIVA A AMÉRICA


“Preso executado com sedativo para animais”
“Um preso americano condenado à morte foi executado, ontem, quinta-feira, no Estado de Oklahoma, nos Estados Unidos, com um sedativo usado para animais. A substância normalmente utilizada, o tiopentato de sódio, está esgotado.”

“John David Duty, de 58 anos, foi o primeiro preso americano a ser executado com o uso do sedativo pentobarbital, que costuma ser utilizado, juntamente com outros medicamentos, na morte provocada de animais.”
“A escassez de tiopentato de sódio, droga normalmente usada na mistura letal, levou as autoridades de Oklahoma a procederem à sua substituição por pentobarbital.”
NÃO ERA MAIS FÁCIL COM UMA MARRETA?

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

Obama igual a Bush?



------------
Julian Assange tornou-se o Noriega deste século (http://pt.wikipedia.org/wiki/Manuel_Noriega).
A Noriega, que até foi colaborador da CIA mas pensou um dia nacionalizar o canal do Panamá, os EUA colaram o rótulo de traficante de droga prendendo-o, a Julian Assange tentam tramar com os abusos sexuais, agora, porque raio não o acusaram quando as revelações da WikiLeaks se direccionavam à China?
A ideia (actual) foi localizá-lo, limitar-lhe os movimentos, torná-lo um alvo fácil para um matador.
Acreditam que chegará a julgamento?
Eu não!

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

E AGORA?


Polícia inglesa descobriu provas contra pais de Maddie
Alexander Wykeham Ellis, embaixador inglês em Lisboa em 2007, admitiu ao seu homólogo norte-americano na capital portuguesa, Alfredo Hoffman, que tinha sido a Polícia inglesa a encontrar provas contra os pais de Madeleine, segundo um telegrama confidencial obtido pela WikiLeaks e divulgado hoje, segunda-feira, pelo jornal "El Pais".

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Parabéns Wikileaks

O Mundo só pode sobreviver quando, quimericamente, acabarem as secretas!
A sorte do ser humano é as grandes potências não encontrarem um qualquer planeta onde se possa viver.
Para sobrevivermos temos de regressar às raízes adicionando os conhecimentos que a humanidade foi absorvendo que a diferencia dos ditos animais irracionais.
Registo que os laboratórios, graças aos lucros, estão muito mais blindados a intromissões indesejáveis.
Tudo que ajude a mostrar a verdade, muitas vezes asquerosa, é de apoiar, parabéns Wikileaks.

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Pedro Santana Lopes




Quem o viu e quem o vê...

Antes era o liderança, as televisões, as santanetes, agora...

O blogue (http://pedrosantanalopes.blogspot.com/) a tempo inteiro e um gajos de bigode de quando em vez.

domingo, 5 de dezembro de 2010

JOSÉ MARIA MARTINS


O PAPAGAIO PERDEU O PIO
O Dr. José Maria Martins apoiou (entusiasticamente) Marinho Pinto na primeira eleição a bastonário da Ordem dos Advogados passado muito pouco tempo tornou-se num dos seus mais ferrenhos críticos, era frequente verem-se no seu blogue apreciações graves.
Estou espantado com o silêncio de JMM, porque será que (mesmo incitado a fazê-lo) não publicou nenhum comentário aos resultados das últimas eleições?
Mistééééério...

sábado, 23 de outubro de 2010

Branco é...


Para quem trabalhava ele?
Já se sabe.

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Estavam à espera de quê?






Quem é que garante a segurança dos cidadãos?


Palmeira ameaça tombar no Largo das Palmeiras
Ninguém parece dar muita importância ao assunto. E a cada ano a situação agrava-se, sem que se vislumbre um gesto por parte que entidades no sentido de salvaguardar a segurança dos cidadãos. Num dos locais mais movimentados da cidade, no Largo das Palmeiras, uma das palmeiras está como a imagem documenta. E na ausência de uma avaliação do risco de queda, os testemunhos de quem frequenta aquele espaço não deixa margem para dúvidas: "Nos últimos anos a inclinação agravou-se mais de meio metro". Embora as palmeiras sejam resistentes, os que diariamente usam aqueles bancos do largo não têm muitas dúvidas. "Aquela palmeira um dia destes vai abaixo". E quando isso acontecer questionam a quem se deverá pedir responsabilidades.

segunda-feira, 26 de julho de 2010

Ainda Saramago

























OS VEREADORES QUE ENSAIAM SER CEGOS
«Rua da Bainharia. Rua de Belomonte. Rua de Cimo de Vila. Rua das Oliveiras. Rua Escura. Rua Bela da Fontinha. Rua de Baixo. Rua do Corpo da Guarda. Rua dos Caldeireiros. Travessa do Barredo. Viela dos Gatos. Rua dos Canastreiros. Rua do Cativo. Rua da Senhora das Verdades. Rua da Oliveirinha. Largo do Terreirinho. Calçada das Carquejeiras. Rua da Lada. Rua de Pena Ventosa. Rua D. Hugo. Escadas do Caminho Novo. Rua das Condominhas... São ruas do Porto. Não sei se Carlos Tê meteu alguma em letra de canção, mas bem podia. São nomes que mesmo não rimando com anel de rubi merecem ser cantados. Soam a granito portuense e a luz húmida, esses nomes. Já Rua Rui Rio, Rua Álvaro Castello-Branco, Rua Matilde Alves, Rua Vladimiro Feliz, Rua Manuel Sampaio Pimentel, Rua Guilhermina Rego e Rua Gonçalo Gonçalves não soam a nada. É melhor não entrarem em cantigas. Rui Veloso ainda ia a meio e já haveria braços levantados no Coliseu: "Ei, Chico Fininho, esses têm nome de rua porquê?" Porquê? Terrível questão. Assim de repente, só nos lembramos deles por serem vereadores (e afins) que votaram contra o nome de Saramago em rua do Porto. Os tolos deixaram-se ofuscar pela cegueira política. Votavam a favor da Rua Saramago e diziam que era por saramago ser uma erva. Afinal, a portuense Rua de Salazares tem sobrevivido porque também evoca uma planta. » /texto daqui: http://jumento.blogspot.com/)

sexta-feira, 18 de junho de 2010

Irá Sousa Lara velar José Saramago?

José Saramago, um dos portugueses mais ilustres.

Há quem chame traidor a Saramago por ter ido viver para Espanha,

José Saramago disse-o, "foi após as declarações de Sousa Lara

que eu e Pilar decidimos ir viver para Lanzarote".

Sousa Lara, (à época) ministro de

um governo chefiado por Cavaco Silva.


domingo, 13 de junho de 2010

Se a dor de corno matasse


















*"Ministra da Cultura: a alface, a sopa e o Chanel",

é este o título de um artigo de opinião de Zita Seabra na última página da ediçao de hoje do "JN".

Zita Seabra não é aquilo a que possamos chamar uma mulher interessante, antes pelo contrário, então se a compararmos a Gabriela Canavilhas a ministra da cultura do Governo de Sócrates a Zita é um camafeu, isto se a comparação for na base da beleza e feminilidade, já como "gaijo" a Zita bate aos pontos alguns deputados (ditos machos) da nação.

Ao ler há momentos o artigo acima referido senti também eu saudades do tempo da outra senhora, lembrei-me das casas retretes da minha escola primária onde em vez de papel higiénico havia quadrados de papel de jornal.


*Passando os olhos pelos jornais, paro na leitura de uma importante notícia. Como disse ao país o senhor presidente da República em comunicação recente, vivemos um momento muito difícil, estamos em crise, o desemprego bate na casa de muitos portugueses pelo que é necessário concentrarmo-nos no essencial. Leio então os jornais e revistas, diários e semanários, passo à frente o futebol, para encontrar as acções governamentais que me devolvam a esperança e a certeza de que virão melhores dias.

Subitamente paro e concentro-me a ler a notícia do que anda fazendo a ministra da Cultura de Portugal. Não queria acreditar. Percebo que posou para uma sessão de fotografias para uma prestigiada revista de moda. Estranha coisa. Mas leio mais. Leio que vestiu Yves Saint Laurent, usou colar da Chanel, e não só: vestiu também um top preto da Prada e calças de Filipe Faísca...

Assaltam-me dúvidas! A primeira: por que não vestiram à ministra Armani? Francamente, ou a revista discriminou a Armani, ou a Armani não fez um vestido para a ministra porque só publicita o seu vestuário em modelos profissionais. Acho grave porque a Armani é indispensável numa sessão dessas. Será certamente em consequência da crise que só vestiram a senhora de Chanel, YSL e Prada? Por aqui se pode avaliar como a crise está mesmo dura pelo que não admira que o desemprego afecte as famílias e os reformados não tenham dinheiro, pois se até a Armani é assim posta de lado. E a Zara? Já não falo da Maconde que tem vivido momentos difíceis como se sabe pelos seus trabalhadores e muito menos dos tops made in Feira do Relógio - estes impensáveis porque seria certamente contrafacção. A notícia não deixa dúvidas. A ministra não foi vestida pelos vendedores da feira de Espinho.

Esclarecido este ponto, continuo a ler a informação importante que encontrei sem especial esforço. Informam-me que, qual modelo profissional, ou talvez, penso eu, em mero resultado da crise, na preparação da sessão fotográfica no seu gabinete, a ministra só comeu uma sopa e um prato de salada. Nem Armani nem bife. Alface, sopa e Chanel…

A ministra da Cultura do meu país, com um enorme sentido de poupança e exemplo de moderação, posou para a Vogue Portugal, no seu gabinete oficial, mas só comeu sopa e alface. Lamentavelmente, neste caso, não dizem a marca da sopa, nem da alface. Seria Modelo ou Pingo Doce? Só dizem a marca dos vestidos, das calças e do colar. Chegada aqui a minha leitura concentrada na importante notícia da política cultural, porque não me passa pela cabeça que a senhora ministra não estivesse a trabalhar no seu gabinete ao posar para a revista, e as marcas de roupa são um patrocínio certamente à acção cultural do Ministério, começo a imaginar para quem reverterão os vestidos e a receita da campanha publicitária "vestida por": para um filme, um novo autor, um grupo de teatro. Não, não se trata certamente de uma feira de vaidades, mas, sim, de uma forma imaginativa de mecenato cultural.

Repentinamente, dou por mim a meditar na frase portuguesa que mais se ouve por aí. Mas afinal que mal tem isso? É ilegal? Não deve ser de certeza e pouso os olhos na fotografia e até reconheço que o vestido e o colar são bonitos e as chaises do Ministério também.

Começo, porém, a imaginar o que diriam os agentes culturais da Esquerda bem pensante se a ministra não fosse de um governo socialista e de uma Esquerda que acha que está acima de qualquer julgamento ético e que tudo lhe é permitido sem o mínimo sentido crítico.

Mas a ministra da Cultura do meu país servir de modelo ao comércio de marcas de roupa é ético? É para isso que estão nos cargos de maior responsabilidade política do país? Um gabinete ministerial pode ou deve ser usado para esses fins? É isso que se espera de quem está à frente da Cultura em Portugal? Como vão longe as ideias, certamente antiquadas de que ser ministro é um cargo de responsabilidade, que se trata de um serviço aos outros, de uma missão, de trabalho para o bem comum, de serviço aos portugueses e, muito particularmente, aos mais necessitados para que tenham acesso aos benefícios da Cultura. E confesso que senti pena e vergonha deste pobre país.

segunda-feira, 7 de junho de 2010

Façamos então "férias cá dentro".

“Presidente reitera que "férias no estrangeiro aumentam dívida" nacional”

Ontem

Cavaco Silva reafirmou, em Santarém, a mensagem deixada sábado, em Albufeira: as "férias passadas no estrangeiro são importações e aumentam a dívida externa portuguesa".Questionado sobre a reacção do ministro da Economia ao seu apelo aos portugueses para que façam férias "cá dentro" para ajudar a inverter e ultrapassar a difícil situação em que se encontra o país

(JN/on-line)

E se os (autênticos) hotéis, residenciais, pensões e camas clandestinos espalhados um pouco por todo o país passassem a ser taxados?

Ajudava um bocadito, não?

sexta-feira, 4 de junho de 2010

Trigémeos aparentando 3 meses de existência encontrados num monte

O da imagem foi adoptado esta manhã por um casal de Canelas/V.N.Gaia, esta tarde foi baptizado, chama-se Alfredo.

Hoje estou muito Contente

Já só falta "perfilhar" um desta ninhada, mas a Sociedade Protectora dos Animais do Porto tem mais de 1.200 animais à espera de um amigo nas antigas instalações do matadouro municipal à Corujeira.

FUNDADA NO PORTO EM 30/05/1878

Declarada de Utilidade Publica Particular por Lei de 16/03/1914

A NOSSA MISSÃO

• Proteger os animais contra os maus tratos

• Incentivar o amor para os animais, instituindo prémios e recompensas;

• Manter e desenvolver um hospital de Veterinária onde sejam tratados os animais segundo os mais modernos preceitos da Ciência Médico-Veterinária , tendo em vista o bem estar dos Animais.

OS NOSSOS ANIMAIS

Neste momento albergamos cerca de 1060 cães e 140 gatos e diversas pombas

O QUE CONSOMEM (por ano)

Cerca de:

7.800 Kg . De frango

21.600 Kg de ração

104.000 Kg de Trinca

600 Kg de milho

2.080 Kg de Peixe

Estes valores têm flutuação, de acordo com a maior ou menor oferta de alguns destes produtos

A NOSSA EQUIPA

É constituída por 36 Colaboradores, pronta a servir os animais

A NOSSA FAMILIA

Neste momento é constituída por cerca de 3500 sócios

O QUE OFERECEMOS

Clinica Veterinária – Banhos e tosquias – Transportes – Serviço hospedagem “Hotel”*
( * Neste momento não funciona em virtude de parte das n/instalações terem
sido ocupadas com a construção do novo estádio do F.C.P.)

ADOPÇÃO DE ANIMAIS / OUTRAS CAMPANHAS / DIVULGAÇÃO

Neste momento temos um slogan “Perdeu-se dono Procura-se outro melhor”

Além das adopções diárias, que fazemos nas nossas instalações, temos, ao longo dos últimos meses, realizado campanhas de adopção aos fins de semana em Jardins Públicos.

VER DATA DAS CAMPANHAS

Temos em curso uma campanha de Angariação de Toalhas e cobertores

Estamos sempre abertos a recepção de donativos alimentares, quer para os nossos cães quer para os gatos

Temos, ao longo do ultimo ano, realizado campanhas de divulgação da nossa Instituição Junto da população da Cidade do Porto, através de distribuição de panfletos via CTT, divulgado a Instituição e a defesa de animais junto das escolas, etc.

domingo, 30 de maio de 2010

Vamos a meças...?


Vamos a meças? Parecem querer dizer os católicos que afanosamente procuram um candidato à Presidência da República.

Se há politico frio e calculista em Portugal ele chama-se Aníbal Cavaco Silva, ao promulgar o casamento entre indivíduos do mesmo sexo indo contra os seus princípios morais, o actual PR pode deixar nos mais ingénuos a ideia de que os homossexuais contam mais que os católicos nos actos eleitorais.

Eu julgo que o que Cavaco Silva pretende é tão-somente arrecadar mais alguns votos junto da comunidade gay já que para ele os votos dos cristãos são favas contadas.



quarta-feira, 26 de maio de 2010

O medo

O MEDO


Não me julgo aberração

Ainda tenho noção

Que o medo é um ai

Primeiro medo, o meu pai

A sua maneira de ser

Educar, era bater

Se calhar como lhe fizeram

Carinhos, não lhe deram

Quando era pequenino

O filho não era menino

Era coisa para moldar

E o que havia a dar

Era a surra correctiva

Para enfrentar a vida

Dura e tenebrosa

Realidade escabrosa

Que o tempo diluiu

Quem o vê, e quem o viu

Hoje débil, dependente

Ainda quase descrente

Do amparo que lhe cedo

Não quero que sinta o medo

Que em menino senti

Meu pai, estou aqui

Sempre ao pé de ti

Para te amparar

Hoje? É Quarta-Feira

Vá…

Vamos deitar.


domingo, 23 de maio de 2010

"A radiosa felicidade de uma filha da guerra"

Histórias: A menina da foto

A radiosa felicidade de uma filha da guerra

por ABEL COELHO DE MORAIS (DN/on-line/hoje)

Vítima quase fatal de um ataque aéreo, Kim Phuc, quando se encontrava num hospital de Saigão, no momento da maior dor e incerteza, decidiu que nunca abdicaria do seu direito à vida. Hoje, dirige uma fundação que procura proporcionar às crianças o mesmo que ela conseguiu alcançar.

Imagem-símbolo da Guerra do Vietname é a fotografia de 1972 em que uma menina corre nua, com o corpo em chamas entre outras crianças, numa estrada nos arredores de Saigão. A menina tem hoje 47 anos, chama-se Phan Thi Kim Phuc e desde daquele 8 de Junho de 1972 coube-lhe viver um doloroso e excepcional trajecto.

Naquele dia, a pequena povoação de Trang Bang, ocupada há 48 horas pelo exército norte-vietnamita, estava sob ataque da 25.ª Divisão sul-vietnamita, que pedira apoio aéreo. A população procurara refúgio num pagode próximo. O ruído dos aviões assustou o grupo, em que estava Kim Phuc, levando-o a deixar o templo. Ao abandonarem o pagode, os civis são tomados por efectivos comunistas e atacados pela aviação.

Kim Phuc, cujo nome significa "felicidade radiosa", recorda a explosão de quatro bombas de napalm junto à estrada. Dois dos seus irmãos tiveram morte instantânea. "Vi o fogo à minha volta. O calor era infernal. Rasguei a roupa, mas tinha o corpo a arder", recordou mais tarde. A sua sobrevivência deve-se ao fotógrafo indonésio Nick Ut, da AP, que fixou o momento da pequena vietnamita em chamas (ver caixa).

Uma biografia da vietnamita, The Girl in the Picture, de Denise Chong, descreve o que se passou. Com queimaduras de terceiro grau e o queixo preso ao peito por cicatrizes da carne e músculos queimados, a jovem foi sujeita a 17 intervenções cirúrgicas em dois anos. É neste período que decide não se resignar à sorte de ser mais uma camponesa, manipulada pelos norte-vietnamitas ou hostilizada pelo seu próprio Governo. Phuc decide estudar medicina.

Apesar da cirurgia reconstrutiva, as costas de Kim Phuc representam a mais eloquente topografia da dor crónica a que está condenada a conviver até ao fim da sua vida.

A adolescente e as suas marcas de guerra foram uma espécie de exposição permanente utilizada pelo regime de Hanói até 1986, quando a autorizou, finalmente, a prosseguir os estudos em Cuba sob apertado controlo.

Demasiado tarde para prosseguir medicina, Phuc opta por farmacologia. É em Havana que conhece o seu marido, outro estudante de informática vietnamita, Bui Huy Toan. Ele e Kim Phuc depressa se convencem que o futuro tem de ser algo diferente da sucessão de viagens Havana-Moscovo-Hanói, em que não passam de meros peões dos rituais de propaganda da Guerra Fria.

Numa escala para reabastecimento num aeroporto da Terra Nova, em 1992, entre Moscovo para Havana, Phuc e o marido conseguem sair do avião e pedir asilo político no Canadá. Toda a bagagem ficou para trás para não levantarem suspeitas.

Começava uma nova etapa da sua vida. Uma etapa marcada pelo nascimento do segundo filho do casal, pela reconciliação com o antigo adversário e a acção a favor das crianças a viverem em ambientes de conflito militar. Visita Washington uma primeira vez em 1996, onde profere uma intervenção junto ao monumento aos militares americanos no Vietname.

No ano seguinte, é nomeada embaixadora de boa vontade da UNESCO e cria a Fundação Kim Phuc para apoio às crianças filhas da guerra, como ela. Para que estas tenham, pelo menos, a hipótese de iniciar o caminho para a felicidade que uma menina vietnamita de nove anos nunca desistiu de procurar.

Porque nunca é demais recordar.

terça-feira, 18 de maio de 2010

O regresso do "Ovelha"


Marcelo Rebelo de Sousa regressa à TVI em ano de eleições presidenciais.

Dizem já as más linguas que vai ser assim a modos que um Fernando Lima, mas de cara descoberta.

Afinal Cavaco, se ganhar, só pode estar lá mais um mandato.

quarta-feira, 12 de maio de 2010

Ao referir elogiosamente o Cardeal Cerejeira Ratzinger insultou uma das figuras mais ilustres da Cidade do Porto

Automóvel, marca Opel, oferecido pelos sacerdotes diocesanos que se cotizaram para facilitar as suas deslocações na Diocese de Valencia (Espanha) em que se fixara, dado que o carro em que tinha saído do Porto, para o que julgara ser um período de férias, lhe fora solicitado pela administração diocesana.

Foto junto ao automóvel oferecido pelos padres da Diocese do Porto em 1960 [?]. Na fotografia Alberto F. Gomes (Irmão, 06-10-1918 – 14-01-2005); Maria José Torres de Magalhães Nunes (Cunhada, Out. 1925 – 12-11-1984); Inês Ferreira Gomes (Irmã, 21-01-1908); D. António Ferreira Gomes

No exílio, em Valência. 1961.

D. António Ferreira Gomes no exílio, em Valência. 1962.


Actividade pastoral de D. António em Espanha, Puerto de Sagmento, 25-03-1961.

Visita pastoral em Real de Montroy, Espanha, 23-2-1963.

Anel de D. António Ferreira Gomes enquanto Bispo do Porto, oferecido pelo Papa Paulo VI.

Foto tirada em Roma e oferecida à mãe em Outubro de 1964. Depois do jantar de despedida em 23 de Julho de 1959 não voltou a ver a mãe que veio a falecer em 21-11-1965, não tendo sido autorizado a vir ao funeral.


texto e imagens:
FUNDAÇÃO SPES
Criada por Dom António Ferreira Gomes, Bispo do Porto
Inst. de Utilidade Pública, DR, 2º série - n.º 128 - 6 de Julho de 2009

domingo, 9 de maio de 2010

Diz-se que...

O orelhas já vendeu a águia...
Pró ano é um piriquito!!!