quarta-feira, 30 de maio de 2012

BANCO ALIMENTAR CONTRA A FOME

Este fim-de-semana voltei a encontrar, à entrada do supermercado, os voluntários do BANCO ALIMENTAR CONTRA A FOME, como sempre contribuí com o que pude.
É impressionante como o nosso cérebro de encarrega de nos aborrecer com lembranças más, podia ficar-se pelas boas.
Desta vez fiquei a cismar devido à situação social deste país, pensei então, será que não há (já) gente a usufruir das dádivas que antes era contra estas organizações?

Parabéns Padrinho

Vila Nova da Barquinha
Que gente ilustre tens?
Tens o Mata, o meu padrinho
Que está (hoje) de PARABÉNS.

NÃO CONHEÇO A ORDEM DOS FATORES

Não sei quem será primeiro ou ultimo.
O livro?
O Filho?
A árvore?
A ordem não deve contar, o que deixa muita gentinha a modos que tola é o ter de cumprir o dito que não posso apelidar de popular porque já vi, e ouvi, gente (chamada) importante a valorizar (muito) a coisa.
Quem se lembrou de instituir, como imprescindíveis, os três trabalhos do ser humano não se preocupou com a enxurrada de “nefastura” que eles acarretam.
Desde logo, os homossexuais não os cumprem, ora bem, os de raiz, porque há também aqueles que antes não o eram.
Depois as árvores, já repararam (tirando as auto estradas) que quando o pessoal se despista tem tendência a estampar-se numa árvore?
É que ainda por cima dá ideia que os plantadores não estiveram com muito trabalho, não iam para o meio do monte, plantavam logo ali na berma, e o pessoal é que se lixa a dar dinheiro aos reboques e aos chapeiros.
O filho, é como o meu avô dizia, "é uma lotaria", todos querem a taluda, a maioria fica com a terminação ou em branco, mas guarda-se sempre o bilhete, muito bem guardadinho.
O Livro, ”estou em crer” que há até quem os escreva, e edite, no intuito de aborrecer o parceiro, do género, “vou escrever um livro de merda e tu vais comprá-lo, podes não o ler, mas compras para não me desagradar”.
Há-os (autores) que acreditam que têm valor, alguns até têm, são as exceções à regra. 
Conclusão, este, como a maioria dos ditos, nem para limpar o dito serve. 

sexta-feira, 25 de maio de 2012

A INOCÊNCIA DOS COMENTADORES POLÍTICOS DA NOSSA PRAÇA

O caso Relvas/Público é destinado a ficar como está, da “ERC” (sem qualquer arguição) vão sair chamadas de atenção a ambos os contendores. Entretanto vai-se “sujando” papel e gastando antena na expectativa de adivinhar que conclusão tirará (de toda esta trama) o Primeiro-Ministro, como se a este fosse estranho o procedimento do rafeiro Relvas.
Para tentar tapar os olhos ao mundo demite-se um ex-jornalista (Adelino Cunha/na foto) adjunto, um bode expiatório fica sempre bem, fica bem para serenar as críticas, e fica-o na verdadeira ascensão da palavra, eu arriscaria dizer que na Ongoing já está pronto mais um gabinete.

quarta-feira, 23 de maio de 2012

GOVERNO ASSASSINO

O atual governo (que em campanha prometeu não aumentar os impostos) continua a trabalhar para os seus donos, aumenta o iva na restauração e em vez de obter mais receita ganha despesa devido ao aumento do desemprego no setor. Aumenta o valor das taxas moderadoras, promove fiscalização para detetar falsos isentos e que acontece? Cresce o número de utentes dispensados de pagamento, ou seja, havia quem pagasse mesmo estando desobrigado de o fazer, mexeram no vespeiro…
Retira a isenção de taxas moderadoras aos dadores de sangue e passado pouco tempo começa a escassear sangue nos hospitais públicos, cirurgias são adiadas, mesmo algumas essenciais à manutenção da vida dos doentes, entretanto os hospitais privados não registam falta.
Até quando continuará Portugal a ser governado por assassinos chantagistas?
Eu estou de consciência tranquila, não votei neles. 

O POVO FALA

No Bairro do Aleixo diz-se que o interesse de Rui Rio não é acabar com o tráfico de droga, se assim fosse a primeira torre a ir abaixo seria aquela onde se concentra o tráfico que (pelos vistos) será a última a cair. O autarca do Porto deixa para o fim a torre 1, conhecida como o maior centro comercial da droga no Norte de Portugal, ao fazê-lo continua a dar mais despesa ao Estado devido às frequentes rusgas das polícias e mantém o foco da comunicação social no local, todas estas manobras não passam de artimanhas para atingir os fins desejados, entregar os terrenos aos amigos.

terça-feira, 22 de maio de 2012

TERESA CAEIRO, UMA TIA SEM SENSIBILIDADE SOCIAL.


As socialites portuguesas viram-se substituídas pela pimbalhada graças à imprensa cor-de-rosa, as primeiras (era o que aparecia na comunicação social) juntavam-se em chás beneficentes, desfiles de moda, casamentos, batizados e simples festas, as outras, juntam-se em raves para mostrar os maridos/namorados cheios de pasta, os novos implantes e snifar uns riscos, as primeiras (com medo que as segundas lhes roubem os maridos) desapareceram das festas, só que, quem não aparece esquece.
É o caso de Teresa Caeiro, ninguém a badala, agarra-se ela à sineta.
Veio propor a aplicação de taxas moderadoras nos abortos equiparadas às pagas em intervenções cirúrgicas, inconscientemente (ou não) pode vir a ser responsável pela vinda ao mundo de crianças indesejadas que trarão muito mais despesa ao erário público que o valor das taxas por ela propostas, as instituições do Estado estão cheias de crianças que nasceram a destempo.
Comparo Teresa Caeiro a Filomena Mónica, pobres maridos, quem os viu e quem os vê.

ALEGADAMENTE

Godinho Lopes terá tentado vender o controle do Sporting Clube de Portugal à “ONGOING” que se mostrou desinteressada, a mesma fonte deixa entender que à referida empresa de investimentos, no futebol nacional, só interessa a marca Benfica, vai até mais longe insinuando haver já um pré-acordo com Luís Filipe Vieira.

domingo, 20 de maio de 2012

JOÃO ANDRADE E SOUSA

João Andrade e Sousa é o nome do coronel da GNR afastado do comando territorial da GNR de Évora por gostar de molha a sopa.
Ora aqui temos um cavalheiro que devia ser premiado com um enxerto de porrada, só para provar do manjar que gosta de dar aos outros.

quinta-feira, 17 de maio de 2012

PRESIDENCIAIS

Quando muitos julgam que Rui Rio será o próximo líder do PPD/PSD, fonte segura afirma que não, "ele candidatar-se às eleições presidenciais com um trunfo de peso, promete o regresso da FÓRMULA 1 a Portugal", e eu até acredito, não que ele traga a fórmula 1, mas que se vai atirar às presidenciais.

quarta-feira, 16 de maio de 2012

Pinto da costa de novo a contas com a justiça?

Diz-se que o honorável presidente do Futebol Clube do Porto poderá voltar a tribunal, o Governo considera-o o principal responsável pelo ar feliz que cintila nos rostos de grande parte da população do Norte de Portugal dando a ideia de não estarem preocupados com a crise.

terça-feira, 15 de maio de 2012

- A AMÉRICA NO SEU MELHOR -

"HOMEM EXECUTADO NO TEXAS AFINAL ESTAVA INOCENTE"
"Carlos DeLuna foi preso pelo assassinato de Wanda Lopez, julgado e condenado à morte. Seis anos depois do julgamento, foi executado. Esta segunda-feira, uma publicação académica desmontou o caso e provou que o Estado norte-americano do Texas executou um inocente."

segunda-feira, 14 de maio de 2012

Dá-lhes Marinho (II)

Uma barata tonta (2)


Na semana passada respondi a três antigos bastonários que me atacaram por eu ter chamado barata tonta à ministra da Justiça. Hoje respondo a Miguel Sousa Tavares que disse que, com essa crítica, eu dera um tiro na cabeça. Na minha! Descontando a imagética, vamos ao que interessa.
No Wikicionário a expressão «barata tonta» significa «pessoa confusa, pessoa desorientada» e na lista de expressões idiomáticas da língua portuguesa da Wikipédia significa «perdido, desorientado, sem saber o que fazer». Essa expressão já foi aplicada, sem alarido, a uma ministra da Educação de José Sócrates e à presidente do Brasil Dilma Rousseff. Vejamos então por que a aplico à ministra da Justiça.
Toda a sua atuação tem sido a de uma pessoa perdida e desorientada que se guia pela instabilidade dos seus estados de alma e pelas manchetes dos tabloides de Lisboa. Estes falam em corrupção? Logo ela anuncia que vai acabar com a «impunidade absoluta» da corrupção (como se isso dependesse de um ministro). Acusam o seu arqui-inimigo Isaltino de Morais de tentar atrasar um processo? Logo ela vem dizer que vai acabar com os expedientes dilatórios. Em vez de pôr os tribunais a decidir mais depressa e de punir quem abusa do direito, ela quer punir todos indiscriminadamente, cortando direitos mesmo a quem os exerceu corretamente, pois isso rende muito numa opinião pública em processo acelerado de fanatização.
Duarte Lima não pode ser extraditado para o Brasil? Ignorando a Constituição ela vai à TV dizer que sim. Os crimes do «estripador de Lisboa» já prescreveram? Ela afirma que vai aumentar os prazos de prescrição (embora depois se focalize mais no processo de Isaltino). Há julgamentos por furtos de valores insignificantes enquanto os grandes roubos ficam impunes? Logo ela anuncia que vai onerar os custos da Justiça para as vítimas desses pequenos delitos, assim desviando a atenção dos golpes de milhões dados sobretudo por antigos dirigentes do PSD que não foram a julgamento e sobre os quais ela nunca disse uma palavra. É convidada para ir à cerimónia de abertura do Congresso dos Advogados? Vai, agride moralmente quem a convidou e, numa insólita falta de respeito por todos, foge atabalhoadamente da cerimónia mal acabou o seu discurso com medo da resposta daquele que tão «corajosamente» acabara de atacar.
Muitos solicitadores de execução, incluindo o antigo presidente da respetiva Câmara, ficam com o dinheiro dos cidadãos e das empresas? Ela anuncia publicamente que há fraudes no sistema de apoio judiciário da OA, enxovalha publicamente os advogados e - pasme-se! - alia-se aos solicitadores no órgão de fiscalização das execuções. O Tribunal Constitucional tem um processo importante para o Governo? Ela pressiona-o publicamente para decidir no sentido que mais lhe convém. O bastonário critica-a? Ela retira à Ordem 1.400.000 euros anuais provenientes das custas judiciais pagas pelos clientes dos advogados. Fala-se que há uma justiça para ricos e outra para pobres? Logo acorre a dizer que é preciso acabar com essa diferença, como se não fosse, ela própria, a discreta advogada de alguns dos ricaços de Portugal.
A MJ é uma barata tonta também porque cria deliberadamente na opinião pública a ideia de que o mal da Justiça se deve apenas às leis e não também aos magistrados. Ela não tem uma palavra para o facto de estes se terem apropriado da justiça, violarem todos os prazos para praticar os seus atos processuais, demorarem, por vezes, anos a proferir as suas sentenças ou a decidirem recursos. Atente-se: em 1960 cada juiz concluía por ano 1069 processos, em 2000 esse número tinha baixado para 522 e em 2010 já só ia em 387 processos. E o que é que ela faz para corrigir isso?
E já não falamos da vergonha de tentar criminalizar o chamado enriquecimento ilícito em total violação da Constituição; de as prisões voltarem a estar a abarrotar; de as declarações dos arguidos no inquérito (mesmo perante os acusadores) valerem como prova em julgamento; de o juiz de instrução poder aplicar medidas de coação mais pesadas do que as pretendias pelo próprio MP; dos julgamentos sumários para crimes gravíssimos; da prisão obrigatória para crimes pouco graves; etc..
Uma ministra que assim age é ou não uma barata tonta?

domingo, 13 de maio de 2012

A “polémica” com o (semi) nu de Rita Pereira.

Tudo se resume a saber-se se a “Playboy” é uma revista erótica ou pornográfica.
Há já muito tempo não sou cliente da publicação referida, no período (da dita ser contrabandeada) em que o era, as fotos que faziam grande plano dos chamados entrefolhos ganhavam (de longe) ao desdobrável das centrais.
Conclusão, nestes tempos em que se diz que não há respeito mostra-se muito menos que antigamente.
Pois, o tantrismo é o que está a dar, depois queixam-se que a população está a envelhecer.

sábado, 12 de maio de 2012

RAIOS PARTAM O MEU 6º. SENTIDO

Ontem fiquei contente ao ver o presidente do meu clube a cantar na Afurada, hoje cheira-me a campanha eleitoral do Menezes para a câmara do Porto.

Mais um no rol dos amaricados

O “baleia” (Carlos Abreu Amorim) veio, a correr, em defesa do chefe, com este Governo temos de reaprender o significado das palavras, afinal Pedro Passos Coelho não disse que “o desemprego não pode ser um sinal negativo”.
Um dia destes vem dizer que a justiça está muito bem, que não há uma criança a viver com o avô que, na sua presença, assassinou o pai.
Que a culpa da prescrição do processo de corrupção do Isaltino é do advogado do réu.
Que o Relvas e o Marco António estão inocentes no caso das secretas.
Que Cavaco está limpinho porque ganhou dinheiro com a SLN, e não com o BPN.
Os cromos deste governo estão cada vez mais mentirosos e amaricados, eu não votei neles, não queria estar na pele de quem votou, devem sentir-se envergonhados.
Já agora, quem será o autor do “amaricados”? Eu não sou!

A CAMINHO DO TRI




O drama da mitologia benfiquista
Há muitos anos, os nossos antepassados inventaram deuses para explicar fenómenos - o vento e a chuva, o sol e a lua, o fogo e a tempestade, o dia e a noite - para os quais não tinham explicação, e organizaram religiões com o objetivo de influenciar os humores imprevisíveis da mãe Natureza.
Bastante empreendedores, como está documentado pela capacidade de construírem as pirâmides do alto das quais 43 séculos de História nos contemplam, os antigos egípcios arquitetaram uma narrativa religiosa bastante completa, onde, por exemplo, Rá, deus do Sol, cuspiu Shu, deus do Ar, e Tefnut, deus da Humidade.
No panteão de deuses egípcios, Ísis encarregava-se dos seres vivos, mas nem o futuro (Osíris superintendia a todo o processo da jornada até ao Além) nem os sentimentos - Seth era a divindade que tratava do ódio - eram negligenciados.
Interesseiros, os gregos abriram espaço na sua mitologia para Hermes, deus dos comerciantes, a quem rezavam e dedicavam o sacrifício de animais, na tentativa de o satisfazer e melhorarem as vendas.
Coube aos hebreus o louvável esforço de racionalização desta confusão panteísta de adoradores de uma multidão de deuses.
Abraão foi, à época, o equivalente à Maria Manuel Leitão Marques, o rosto do Simplex religioso, da fundação de uma religião monoteísta, em que um só Deus, todo poderoso, responsável por toda a Criação, que se ocupa em regime de acumulação de todos os pelouros - e a quem os fiéis podem recorrer seja qual for a índole da sua aflição.
Nove em cada dez dos seis milhões de benfiquistas refugiaram--se na religião para achar uma explicação para a esmagadora hegemonia portista no nosso futebol.
Os panteístas atribuem as culpas a efeitos conjugados da ação malfazeja de alguns anjos e demónios, como Jesus (o Jorge), Vítor Pereira (o dos árbitros), Luís Filipe Vieira e Pinto da Costa. Outros, monoteístas, optam por culpar apenas os árbitros por todas as suas desgraças.
Como portista e agnóstico compreendo a desorientação teológica que se apoderou dos benfiquistas. A moderação da minha satisfação pela conquista do bicampeonato deve-se ao facto de por mais de uma vez ter festejado tris, tetras e até um penta. Mas para se gabar de ter vivido um bi, um benfiquista tem de ter pelo menos 28 anos -e um sportinguista 59 anos!
Enjeitar as responsabilidades pelas derrotas e fracassos, atirando- -as para as costas largas da arbitragem, não é o caminho certo para os benfiquistas contrariarem o domínio azul e branco e devolverem algum suspense à indústria do futebol.
Demonizar os árbitros e sacrificar animais à Fortuna (a deusa romana da Sorte) é o drama da mitologia benfiquista. Para voltar às vitórias, o Benfica tem de aprender com Minerva (a deusa romana da Sabedoria) a lição de que as vitórias portistas são filhas da combinação de talento com competência e muito, muito, trabalho. Só assim a sua fé no futuro terá fundamento.
(in “JN”)

sexta-feira, 11 de maio de 2012

Sócios do benfica

Em vez de títulos, o orelhas oferece funerais mais em conta.

Caséria Évora


Agora quando te ouço
Sinto profunda ansiedade
De ti e do Zeca Afonso

Sofro enorme saudade
http://www.youtube.com/watch?v=E_7BV-IuyKI

quinta-feira, 10 de maio de 2012

Relvas não se demite.

Miguel Relvas não se demite porque é um desavergonhado e manda mais que o Primeiro-Ministro.

SOU CONTRA AS TOURADAS


 Não sei, não acho graça, gosto mais de futebol, mas mesmo não gostando sei ver quando a faena é boa ou má. Ontem detive-me à frente da televisão a apreciar, ele era chicuelinas, verónicas e mais não sei quantos passes, o toureiro Honório Novo, a besta Vítor Gaspar (ministro das finanças), gostei de ver, mesmo sendo o bicho muito manso e lento. Quem se postasse ontem a admirar o deputado do PCP ficava com a ideia que ele (Honório) é um tipo violento, nada de mais errado, é calmo, um tipo porreiro, encontrei-me diversas vezes com ele, há uns anos, há porta de diversas fábricas e empresas, é um gajo afável até, mas é também um gajo do caraças dificílimo de calar.
FORÇA HONÓRIO


quarta-feira, 9 de maio de 2012

Gaia fede.

Não é só a gestão de Luís Filipe Menezes (e sus muchachos) que cheira mal, em Pedroso há toneladas de carne podre nas câmaras frigoríficas (desligadas) de uma fábrica de enchidos que faliu em Setembro do ano passado, situação há muito denunciada à GNR, autarquia, entidades sanitárias e até na televisão.
Como se não bastasse, a etar da Madalena, em vez de proteger, empesta o ambiente do concelho, o mau cheiro prolonga-se intensamente da orla marítima até às freguesias mais interiores, até a zona turística (já que o restante está uma desgraça) que foi alindada cheira mal que tolhe.
Conclusão, Luiz Filipe Menezes está de saída, deixa um retrato de merda.

segunda-feira, 7 de maio de 2012

Dá-lhes Marinho.



BARATA TONTA (1)


Três antigos bastonários da Ordem dos Advogados ligados ao negócio das arbitragens (essa justiça privada e clandestina tão zelosamente promovida pelo actual governo) vieram atacar-me pessoalmente por eu ter criticado a ministra da justiça no programa da SIC «Conversas Improváveis», onde dissera que ela é uma barata tonta e uma pessoa traiçoeira em quem não se pode confiar.
António Pires de Lima, que já não se lembra dos insultos que dirigira a António Guterres, José Sócrates, Alberto Costa e Alberto Martins, veio dizer ao semanário Sol que eu devia «andar a puxar uma carroça em Lisboa». Ele, que há uns anos comparou o Ministério Público à Gestapo de Hitler e à PIDE de Salazar e que antes do 25 de Abril fora advogado de uma das mais ferozes forças de repressão da ditadura, defendeu a actual ministra afirmando que ela «tem feito o possível, o que não pode é fazer milagres». Confessou ainda «ter a maior consideração» por ela e desejou-lhe «boa sorte». Ámen!
Júlio Castro Caldas, sócio do chefe de gabinete da ministra, veio também a público afirmar que ela fora alvo de uma «pública injúria com intenção de ofender» - um acto para o qual nem «o histrionismo de carácter, estimulado pelo talk-show, é atenuação suficiente». Castro Caldas tem motivos para vir em socorro da ministra, pois, além de interesses comuns nas arbitragens, foi nomeado por ela para a Comissão de Revisão do Código de Processo Civil. Também tem motivos para me atacar dessa forma descabelada pois, em tempos, escrevi um artigo sobre um bastonário da OA que fora alvo de uma participação de um juiz por se ter descoberto em plena audiência de julgamento que na véspera ele tinha reunido com as testemunhas do seu cliente, suspeitando o juiz e o advogado da parte contrária que essa reunião fora para as industriar. Claro que Castro Caldas foi absolvido pelo conselho Superior da OA, quando Júdice era bastonário, pois, em regra, esse tipo de comportamento só constituía infracção disciplinar quando visava advogados mais modestos, de preferência da província.
José Miguel Júdice que, enquanto bastonário da OA, tentava, entre outros negócios, vender submarinos ao governo, veio rasgar as vestes em público, dizendo que eu ultrapassei «todos os limiares da boa educação» por ter feito as declarações que fiz «contra uma senhora que está a desempenhar o seu papel da melhor maneira que pode e sabe». Refira-se que Júdice aumentou e muito a sua fama de «bem educado» pela forma elevada como em tempos tratou o bastonário Rogério Alves, o presidente do Conselho Superior, Luís Laureano Santos e o seu vogal, Alberto Jorge Silva, por lhe terem instaurado um processo disciplinar por, em declarações públicas, exigir que o estado consultasse sempre a sua sociedade de advogados. Também contribuiu para a sua láurea de boa educação, a forma elegante como passou a referir-se a outra «senhora», a antiga ministra da justiça Celeste Cardona, depois de o então ministro da defesa, Paulo Portas, ter preterido o cliente do escritório de Júdice na compra dos tais submarinos.
Júdice, que se demitiu do PSD para ir ganhar dinheiro com José Sócrates e António Costa (de quem foi mandatário à Câmara de Lisboa) quando Luís Marques Mendes era presidente do partido, terá agora de fazer muitos mais exorcismos públicos como este para voltar a estar em condições de facturar como na altura em que Durão Barroso e Santana Lopes chefiaram o governo. Recorde-se que, nesse tempo, o escritório de Júdice recebia, só de uma empresa pública, dois milhões de euros por mês (um milhão em cada 15 dias), supostamente, por assessoria jurídica. Por outro lado, a sua boa formação está lapidarmente evidenciada numa entrevista ao JN, em que, pronunciando-se sobre a Zona Ribeirinha do Tejo, para cuja administração José Sócrates acabava de o nomear presidente, disse: «Aí sinto-me um ginecologista. Trabalho onde espero que muitos se divirtam».
Enfim, são três antigos bastonários que, por inconfessados interesses pessoais, não hesitam em atacar publicamente o bastonário da OA em exercício, unicamente para cair nas boas graças do poder político. Estranha noção de dignidade, a deles.

(in "JN")

Aborto


Não, não estou a referir-me a um qualquer costumeiro cliente das minhas críticas, já julgavam que eu ia falar do Cavaco, não era?
Não, é mesmo o ato de desmanchar que trago à liça. Fartei-me de ouvir uma cambada de falsos moralistas da classe média quando se discutiu a liberalização do aborto, por diversas vezes ouvi senhorecas beatonas (não, não falei no Bagão Felix) atirar todo o pecado do mundo para cima das mais pobres sem formação académica, e agora?
Agora um estudo muito recente vem mostrar que, devido à crise, são da classe média e com formação académica a maioria das utentes que abortam no Serviço Nacional de Saúde. Claro que as VIPs vão a Espanha ou Inglaterra, essas não contam para as estatísticas.
Para fechar, um prémio Nobel pode ser retirado? Não? Pois devia, assenta muito mal naquele escurinho que mora na casa branca.
PS: E a pasta que o Cavaco mamou na SLN/BPN, pode ser nacionalizada?

domingo, 6 de maio de 2012

Ainda os 50% do Pingo Doce

Sempre lampeiro a analisar os fenómenos sociais em Portugal, o sociólogo António Barreto nada disse sobre a promoção do Pingo Doce, o seu silêncio deve ter um “fundação” qualquer.

Eu não sou sócio do ACP

Você que é, dê-se ao trabalho de, de vez em quando, deitar os olhos às contas, não é por nada, coisas...

sábado, 5 de maio de 2012

Não há crise, o Povo está a pagar.

 

Avião do BPN usado para transportar prostitutas do Leste
Óscar Silva, o economista que Oliveira e Costa foi buscar à Credifin para fundar no Porto, em 1998, a BPN- Créditus, esteve em Inglaterra com alguns amigos a assistir a uma prova de automobilismo viajando no jacto privado do BPN. Para animar a viagem fez-se uma escala num país do Leste para recolher prostitutas.
 
O economista que liderou o BPN-Créditus foi condenado a pagar 58 mil euros à filha do seu antigo braço-direito. Em tribunal, foi dado como provado que desviou dinheiro destinado à criança, então com nove anos.


Somos um país bem observado

Observatório do medicamentos e dos produtos da saúde
Observatório nacional de saúde
Observatório português dos sistemas de saúde
Observatório vida
Observatório do ordenamento do território
Observatório do comércio
Observatório da imigração
Observatório para os assuntos da família
Observatório permanente da juventude
Observatório nacional da droga e toxicodependência
Observatório europeu da droga e toxicodependência
Observatório geopolítico das drogas
Observatório do ambiente
Observatório das ciências e tecnologias
Observatório do turismo
Observatório para a igualdade de oportunidades
Observatório da imprensa
Observatório das ciências e do ensino superior
Observatório dos estudantes do ensino superior
Observatório da qualidade em serviços de informação e conhecimento
Observatório da comunicação
Observatório das actividades culturais
Observatório local da Guarda
Observatório de inserção profissional
Observatório do emprego e formação profissional
Observatório nacional dos recursos humanos
Observatório regional de Leiria
Observatório permanente do ensino secundário
Observatório permanente da justiça
Observatório estatístico de Oeiras
Observatório da criação de empresas
Observatório Mcom
Observatório têxtil
Observatório da neologia do português
Observatório de segurança
Observatório do desenvolvimento do Alentejo
Observatório de cheias
Observatório da sociedade de informação
Observatório da inovação e conhecimento
Observatório da qualidade em serviços de informação e conhecimento
Observatório das regiões em reestruturação
Observatório das artes e tradições
Observatório de festas e património
Observatório dos apoios educativos
Observatório da globalização
Observatório do endividamento dos consumidores
Observatório do sul Europeu
Observatório europeu das relações profissionais
Observatório transfronteiriço Espanha-Portugal
Observatório europeu do racismo e xenofobia
Observatório dos territórios rurais
Observatório dos mercados agrícolas
Observatório virtual da astrofísica
Observatório nacional dos sistemas multimunicipais e municipais
Observatório da segurança rodoviária
Observatório das prisões portuguesas
Observatório nacional dos diabetes
Observatório de políticas de educação e de contextos educativos
Observatório ibérico do acompanhamento do problema da degradação dos povoamentos de sobreiro e azinheira
Observatório estatístico
Observatório dos tarifários e das telecomunicações
Observatório da natureza
Observatório qualidade
Observatório da literatura e da literacia
Observatório da inteligência económica
Observatório para a integração de pessoas com deficiência
Observatório da competitividade e qualidade de vida
Observatório nacional das profissões de desporto
Observatório das ciências do 1º ciclo
Observatório nacional da dança
Observatório da língua portuguesa
Observatório de entradas na vida activa
Observatório europeu do sul
Observatório de biologia e sociedade
Observatório sobre o racismo e intolerância
Observatório permanente das organizações escolares
Observatório médico
Observatório solar e heliosférico
Observatório do sistema de aviação civil
Observatório da cidadania
Observatório da segurança nas profissões
Observatório da comunicação local
Observatório jornalismo electrónico e multimédia
Observatório urbano do eixo atlântico
Observatório robótico
Observatório permanente da segurança do Porto
Observatório do fogo
Observatório da comunicação (Obercom)
Observatório da qualidade do ar
Observatório do centro de pensamento de política internacional
Observatório ambiental de teledetecção atmosférica e comunicações aeroespaciais
Observatório europeu das PME
Observatório da restauração
Observatório de Timor Leste
Observatório de reumatologia
Observatório da censura
Observatório do design
Observatório da economia mundial
Observatório do mercado de arroz
Observatório da DGV
Observatório de neologismos do português europeu
Observatório para a educação sexual
Observatório para a reabilitação urbana
Observatório para a gestão de áreas protegidas
Observatório europeu da sismologia
Observatório nacional das doenças reumáticas
Observatório da caça
Observatório da habitação
Observatório do emprego em portugal
Observatório Alzheimer
Observatório magnético de Coimbra


Parece a cozinha de um grande restaurante, tanto tacho!

O olho é daqui: http://interligados24horasdalili.blogspot.pt/2011/02/gif-animado-de-um-olho-assustador.html

PUBLICIDADE ENGANOSA - Jerusalem

"Mulheres despem-se em protesto na Terra Santa"

quinta-feira, 3 de maio de 2012

Luís Filipe Menezes, ainda acredita nele?

AFOGUE-SE!
Luís Filipe Menezes, que retirou os subsídios às associações culturais, desportivas e recreativas de Vila Nova de Gaia, anda armado em mecenas com a projeto “Es.Col.a” da Fontinha, na sua ansia de chegar à Câmara do Porto ele promete tudo. Desconhece que o projeto “Es.Col.a” foi programado para um local e população específica, será que Menezes é tão burro e acredita que a gente da Fontinha se iria deslocar à Afurada? Claro que não, ele sabe-a toda, parece no entanto não saber que os dinamizadores da iniciativa não são parvos e não vão na letra dele, não lhe passam cartão, espero que nas próximas autárquicas os tripeiros procedam da mesma maneira.

good save américa

"Uma mulher norte-americana foi presa, na semana passada, por pôr em perigo a filha, de cinco anos, ao levá-la ao solário. Segundo as autoridades, a criança sofreu queimaduras graves em todo o corpo."
"Um casal de norte-americanos foi detido, este domingo, por rebocar a neta de sete anos num carro de plástico com um jipe. Os avós da menina estavam embriagados e confessaram que rebocaram a criança para se divertirem."

(fonte: JN on-line) 

quarta-feira, 2 de maio de 2012

Perseguição na Guiné Bissau



 
http://ditaduradoconsenso.blogspot.pt/


Sinto que nunca mais terei um blog


Caros amigos,

Estara na hora de parar. Hoje, do meu carro, alguem roubou um iPad [emprestado] e um disco externo [meu]. Para vos dizer a verdade, estou farto, cansei. Ja perdi muito dinheiro [muito mesmo] comprando materiais para os ladroes roubarem. Sacrifiquei ate, e digo isto com alguma vergonha, algum bem-estar dos meus filhos em detrimento de informar atraves do meu blog. Mas acho que ja chega. Nao ganho nada e acabo por perder tudo. Serei masoquista...

Estou desiludido e sem forças para fazer o que quer que seja. Tornei-me num alvo apetecivel, bastante policiado ate. Mas no que me diz respeito, valeram a pena todos estes anos agarrado ao computador, nao me arrependo de nada. Durante esta semana, tomarei uma decisao final. Mas sinto que nunca mais terei um blog. Detesto ser roubado.
Antonio Aly Silva
Preso e agredido pelos militares, depois de solto, António Aly Silva continua e ser perseguido, para o silenciarem roubam-lhe os equipamentos.
António Aly Silva, mesmo vivendo num país onde os direitos são constantemente desrespeitados, não se vende, não sei se já lhe ofereceram alguma assessoria, tenho a certeza que não aceitaria.